a cidade perdida de petra


Jerusalém, 04 de maio de 2011

Foi rápido, apenas uma semana, mas os dias na Jordânia foram realmente marcantes. Fomos à Petra, nos divertimos boiando no Mar Morto e nos encantamos com o simpaticíssimo povo jordaniano. Não era nosso enfoque, mas a região ainda guarda muitas opções pra fazer turismo religioso, com lugares sagrados pra quem adora Jesus ou Alá. Definitivamente vale à pena visitar a terra do rei Abdullah II que, por sinal, é amado por seu povo.

A entrada no País nos deixou apreensivos e passou uma imagem ruim que foi revertida depois. Pegamos um ferry de Nuweiba no Egito pra Aqaba que atrasou horrores e que, mesmo depois de chegar, não iniciava nunca o desembarque. Quando começou, tivemos que literalmente correr atrás do oficial que levava nossos passaportes nas mãos. O porto era uma zona, bagunça geral. Mas, afinal, saímos de lá com nossos passaportes carimbados sem necessidade de renovar o visto. Ponto negativo pra embaixada jordaniana no Brasil que orientou muito mal e nos fez pagar por vistos desnecessários que venceram sem serem usados. Em Aqaba dividimos um táxi com um casal de ingleses que conhecemos no caminho.

Com tudo isso, chegamos à Petra bem tarde nesse dia. Na verdade, chegamos em Wadi Mousa, que é a base pra explorar Petra, uma cidade abandonada há 15 séculos. Petra foi construída pelos Nabateus há 2.000 anos e, assim como nosso Cristo Redentor, foi eleita uma das novas 7 maravilhas do mundo. Ficou perdida e chegou a ser considerada como apenas uma lenda até 1812, quando foi redescoberta por um francês chamado Jacek Rewerski. É de cair o queixo! Entra-se na cidade por um desfiladeiro que é uma atração por si só. A base é super estreita e as paredes sobem verticalmente até 80 metros de altura. Esse caminho vai serpenteando, adornado vez ou outra com algum vestígio dessa civilização até que… perde-se o ar! De repente, depois de uma das curvas, surge a beleza descomunal do Tesouro. Um templo monumental escavado diretamente na rocha. Pra admirar sem moderação.

Desfiladeiro na chegada à Petra

 

A primeira visão do Tesouro

 

O Tesouro

 

Deixando pra trás o cenário de Indiana Jones e a Última Cruzada (quem se lembra?), as surpresas continuam e Petra te conquista de vez. Após mais uma caminhada, o desfiladeiro abre-se para surgir uma cidade inteira escavada na rocha. Pra ser preciso, a maior parte do que sobreviveu ao tempo foram tumbas e não casas, até porque os nabateus eram beduínos e viviam em tendas. Algumas dessas tumbas são verdadeiras obras de arte em escala colossal. Um complexo inigualável construído em um cenário de tirar o fôlego. Pela cor de suas pedras, Petra é conhecida como a cidade rosa. Mas, isso chega a ser uma injustiça com todas as outras cores de suas encostas. Um espetáculo!

 

O interior de um tumba

 

Reserve no mínimo dois dias (nós usamos três) e prepare-se pra caminhar algumas dezenas de quilômetros. Ou alugue um burro ou camelo por um preço imoral. Só não deixe de percorrer tudo o que puder. Passe pelo anfiteatro romano, outra obra incrível esculpida na rocha. Caminhe pela Avenida das Colunas, apreciando as Tumbas dos Reis. E percorra a longa subida até o Monastério, ainda maior do que o Tesouro. Suba também até o Alto Lugar de Sacrifício pra curtir uma vista da cidade pro cima. É impossível fazer isso em um dia, a área é realmente grande. E tendo ido tão longe pra um lugar tão especial, não deixe de aproveitá-lo ao máximo.

Anfiteatro Romano

 

Avenida das colunas

 

Tumba dos reis

 

Monastério

 

Vista do Alto Lugar do Sacrifício

 

Hospedamos em um lugar que expunha algumas questionáveis condecorações de melhor hostel da Jordânia. Vai entender… De bom mesmo, o belo pôr do sol ao som dos sempre presentes chamados pra reza das mesquitas. Várias vezes do dia ou da madrugada, esses cantos são entoados pelos alto falantes nas dúzias de mesquitas espalhadas nas cidades árabes (apenas do terraço do nosso hotel em Amman, dava pra contar 11 delas).

Pôr do sol do terraço do "melhor" albergue da Jordânia

Uma das surpresas positivas foi perceber o quanto viajar pela Jordânia é fácil. O povo é extremamente simpático e solícito. Muitos falam inglês e são super curiosos com os estrangeiros. E como é bom lidar com gente bem humorada e com boa vontade! As estradas são bem conservadas e as cidades mais bem organizadas que em outros países árabes em que estivemos. Mas, não é barato, ao contrário do que pensávamos. Uma boa dica é alugar um carro, uma vez que os táxis são caríssimos e nem sempre existem outras opções possíveis mesmo pra ir de uma cidade a outra. Qualquer dúvida, pergunte a alguém na rua, as pessoas adoram ajudar!

A gente fazia um sucesso louco na rua... rs...

 

Nossa ideia era ir de Wadi Mousa pra Amman por um caminho conhecido como Kings Road. Tem alguns visuais e pontos históricos que pareciam incríveis. Contudo, na falta de alguém pra dividir um táxi de 80 euros, fomos de mini-ônibus direto pra capital jordaniana. Amman é uma cidade moderna, até que bem ocidental e estruturada. Não estamos falando de primeiro mundo, claro, mas poderia até ser uma cidade brasileira não muito rica. E pra deixar claro, é islâmica. Então, sem cerveja. Não tem grandes atrativos, mas destacam-se o teatro romano e a bonita Citadel.

Citadel

 

Amman pode ser usada como base pra fazer passeios na região. Outra opção é usar Madaba pra isso. Essa cidade é famosa pelos mosaicos milenares com temas religiosos dos primórdios do cristianismo e até antes disso. Sendo sincero, não são lá tão legais assim. Por ali, passamos em alguns pontos considerados sagrados como o Monte Nebo, onde Moisés teria visto a terra prometida e morrido. E, por fim, descemos até o Mar Morto. Esse lugar é o maior barato! Já tínhamos ouvido essa história de que lá dá até pra ler jornal boiando, mas só entrando em suas águas hiper salgadas pra entender o que isso significa. Não é que seja fácil boiar, é impossível afundar. Sem exagero, você pode dormir deitado na água. É muito divertido. Ainda dá pra se lambuzar de lama preta pra supostamente ficar com pele de bebê no dia seguinte. Pra fechar o dia, o belo visual do Panorama, que também tem um bom museu sobre o Mar Morto. Programão que fizemos em companhia do Heinz, um austríaco muito gente boa que ficamos amigos.

Fazendo palavras cruzadas no mar morto

 

Vista para o Mar Morto e Israel

 

A essa altura, já estamos em Israel. Não vamos mais seguir daqui pra Turquia. Com a fronteira com a Síria fechada, sem opções de subir de ferry e com os vôos pra Istambul caríssimos, compramos uma passagem pra Atenas. Logo mais, damos outras notícias.

Com uma vizinhança dessas, qual será o próximo destino???

31 comentários em “a cidade perdida de petra

Adicione o seu

  1. Estou procurando informação de como ir da Turquia para Israel por um meio menos dispendioso que os aviões. Você tem alguma dica para me dar?

    obrigado Luiz

    1. Luiz, nós tb tentamos olhar alternativas. O ferry não funciona mais regularmente, então, vc terá que checar pra data da sua viagem se há algum saindo. Mas, é pouco provável. E por terra está inviável (a não ser que vc queira atravessar uma zona de guerra!). A conclusão que nós chegamos na época era de que o caminho seria por ar mesmo. E também por esse motivo, acabamos desistindo de ir pra Turquia (outra razão é que nosso cronograma já andava muito atrasado).
      Sinto não poder ajudar mais!
      Abraço

      1. Eu agradeço muito a sua atenção….obrigado mesmo…acho q vou ter q ir pelo ar mesmo! abc

  2. Prezados,

    Gostaria de saber em que acomodação vocês ficaram em Petra e em Amman!! Outra coisa vocês alugaram um carro para ir até o Mar Morto?

    Excelente blog informações bastantes úteis!

    Lucas

    1. Oi, Lucas, obrigado!!

      Quando o assunto é hospedagem, sempre recomendamos checar o hostelworld pra poder comparar preços e as avaliações e comentários de quem passou nos albergues recentemente. Nem sempre ficamos na melhor opção. Às vezes era aquela que estava em promoção ou com qtos disponíveis. Dito isso, vou checar com a Letícia se ela lembra os nomes, o de Petra não era mto bom não, já o de Amman era melhor (se ela lembrar, escrevemos aqui pra vc).

      Para o Mar Morto, alugamos um táxi. Fomos juntos com um austríaco que estava no nosso albergue e rachamos a conta (não ficou mto caro). Se vc souber lidar com trânsitos bem confusos, dá pra ir dirigindo sim (leve um bom mapa!). Visitamos outros pontos nesse dia, normalmente lugares bíblicos e umas vistas legais. Porém, não são imperdíveis. Então, considere a possibilidade de ir de ônibus tb. Umas 3 hs no Mar Morto são suficientes. O que vc perderia mesmo nessa opção, seria rodar em torno do Mar Morto pra curtir a paisagem, essas valem à pena!

  3. Toda vez que leio um novo post fico pensando que vcs deviam fazer um guia com ele depois da viagem, publicar numa editora lega e ganhar muito dinheiro, rs. Com certeza ele tem informações muito melhores, escritas de uma forma muito mais interessante e com fotos únicas que nenhum guia vendido nessas livrarias chics e caras tem. Então acho que já arranjei um trabalho para vcs na volta. kkk beijos e muitas saudades.

  4. Parabéns, Fred e Letícia.. quando a gente é jóvem tem mesmo é que aproveitar a vida da maneira que vocês estão… Lindíssimos lugares… que a gente nem imagina. Deus abençoe vocês nestalonga caminhada.. Uma lembrança que nunca se apagará em suas memórias.. até para contar aos netinhos.. beijos Tenho o prazer de conhecer sua mãe
    aqui em Cabo Frio, uma pessoa muito especial para mim..

  5. Ai jesuso, que inveja. kkkkkkkkkk
    Vou parar de ler esse blog, to ficando deprimido aqui. rsrsrsrs
    Mentira, leio sempre, estou adorando a viagem e estou me inspirando com ela, quero viver até os cem anos e conhecer tudo isso e muito mais.
    Grande abraço e fiquem com Deus!

  6. Mas a musa do site tá realmente impossível hein?! Fina, fina…
    Fred, os post estão sensacionais.
    To curtindo com vocês.
    Bjo grande até breve!

  7. Amores, que maravilha de lugares e fotos.Saudades e vontade de estar junto segurando uma velinha …Mama e sogrinha

      1. Amores, escrevi uma cartona e a danada apagou na hora de enviar. Amanha escrevo de novo. Beijos, beijos.
        Mamas. (inclui sogra , que acho ruim )

  8. Sensacional!!!
    Eu sempre soube que você escrevia bem, Zito, mas vamos combinar que você está arrasando no blog, né?!
    Lets, que delícia ter ver com aquelas palavras cruzadas! Você está ótima, amiga! Linda!

  9. Letícia e Fred:

    Nunca é demais comentar sobre a excelência do blog que vocês estão produzindo. Harmonioso e equilibrado, apresenta texto de fácil e agradável leitura (fluente, informativo, informal) ilustrado por belíssimas fotografias (motivo, enquadramento, luz, cores). Destaque maior para o seu conteúdo, contemplando sempre a história, a geografia, os costumes e os monumentos dos fantásticos lugares por vocês visitados. Nunca é excessivo dizer que estamos acompanhando, atentos e admirados, todos os seus passos, e que cada post, sempre esperado com avidez, nós traz extraordinárias revelações.
    Perguntamos ao Fred como ele tem conseguido que a Letícia pouse para suas fotos. Nossas insistentes tentativas sempre foram infrutíferas e terminavam, por vezes, em passageiros atritos!!!
    Beijos, e que continuem aproveitando plenamente esta fantástica aventura a que vocês se propuseram.

    1. Ficamos mto felizes q o blog esteja agradando, o estamos produzindo com mto carinho. Sabemos q vcs estão sempre por perto e isso nos deixa contentes. Bom saber q mesmo estando longe, podemos senti-los por perto. Sobre a Letícia posar pra fotos, tenho um argumento matador em mãos: não dava pra deixar passar em branco lugares como esses. Daria?!
      Beijos

  10. Olá imagino que agora vcs estão no lugar em que sonho em conhecer… Israel, espero um dia poder estar ai tb… fiquei triste em saber que ainda não irão na Turquia, outro lugar que sou apaixonada, estou super ansiosa por mais noticias… e como ainda não posso ir nesses lugares… estarei eu andando pelo Brasil mesmo, mês q vem vou p Salvador.
    Bjos.

    1. Estamos em Israel, em Tel Aviv. Ótimo astral aqui! E Jerusalém tb é um lugar bem bacana. Em breve colocamos as notícias daqui. Ah, e Salvador é sensacional, aproveite! Saravá!

  11. Não os conheço pessoalmente mas estou acompanhando o site e simplesmente ADORO!
    As fotos e a forma como descrevem o lugar dá vontade de ir correndo até ai!
    Continuo acompanhando… Divirtam-se

  12. Demais da conta!!! Que lugar paradisíaco e que viagem massa! Mágica! Fiquem com Deus…ou ou…sorry…com Nietzsche! Bjs saudosos.

  13. Essa camisinha do crugayiro em Petra, no refúgio do “Alto Lugar do Sacrifício”, sei não…. É muita reza para um time só. Acho que seu time vai perder para o meu Galo. Aliás, como ela consegue ler boiando?

    Bjs. a vocês

    Eduardo, Juliana e Gabriella

  14. Olá Fred e Lê. Eu arrepiei com este post! Petra…
    Com certeza vou guardar esta página para os meus planos futuros. Enquanto isso, vou viajando aqui…

    Bjim e vão com Deus, Alah, …..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: