sob o sol da toscana


Londres, 7 de julho de 2011

Nossos últimos dias na Itália foram muito bem aproveitados na Toscana. A região é um ímã de turistas de todo o mundo. Alguns são atraídos pelo charme das cidades históricas, outros vão atrás do berço do Renascimento e seu riquíssimo legado cultural e uns ainda aparecem em busca do clima romântico com bons vinhos e as paisagens de sonho dos campos de girassóis. A gente queria um pouco de tudo: caminhar pelas cidades, beber cultura na fonte e também um pouco de romance – afinal, viajamos em ótima companhia!

Por toda a Itália casais apaixonados deixam esses cadeados simbolizando sua união

E no coração da Toscana está Florença, uma dessas cidades mágicas que valem a viagem. Não é grande, nem pequena demais. Na medida pra resolver tudo a pé, até porque as caminhadas entre os palácios e casarões florentinos respirando história e arte são o ponto alto da visita. Foi lá que a família Médici financiou uma explosão cultural chamada Renascimento. As transformações, que começaram na Itália e avançaram pela Europa Ocidental, influenciaram decisivamente a ruptura com o modelo feudal da Idade Média e a transição para o capitalismo que marcou a Idade Moderna.

Ponte Vecchio
Em frente ao Palácio Pitti

Florença completa a lista de cidades extraordinárias da Itália. Assim como Roma e Veneza, é um destino fora de série, com muitas atrações de altíssima qualidade. Tem museus de primeiríssima linha como a Galleria degli Uffizi e a Galleria dell’Academia, onde está o David de Miguelangelo, talvez a mais famosa estátua do mundo. O Duomo, com a Catedral e o Batistério logo em frente é de uma beleza estonteante com sua arquitetura única. Um programa imperdível é atravessar a ponte Vecchio e visitar o outro lado do rio. Lá estão o Palácio Pitti e as melhores vistas da cidade.

Vista da cidade a partir da Piazza Miguelangelo
O principal ponto turístico de Florença – O Duomo
O interior da catedral de Florença

Uma dica pra explorar a região é hospedar-se em uma cidade menor. Hotéis ou albergues em Florença (como em qualquer grande centro da Itália) são muito caros. Nós fomos pra Pisa, terra da famosa torre inclinada. Dizem que a torre é a única atração de lá, o que é um pouco injusto. É um lugar muito gostoso, com ruazinhas agradáveis. Embora seja verdade que é na Piazza dei Miracoli que as coisas ficam realmente interessantes, com a Catedral Santa Maria e, claro, a torre como os maiores destaques.

Piazza dei Miracoli – a grande atração de Pisa
Detalhe do teto da Catedral Santa Maria
Todo mundo quer tirar a foto tradicional segurando a torre…
… mas, como sempre, o Fred preferiu inovar!

Fomos também à Lucca, uma cidade medieval que preservou o muro que cerca o centro histórico totalmente intacto. Pequena, mas recheada de belas praças, torres e palácios. Ótima pra passar um dia calmo, rodando a pé ou de bicicleta. Deu vontade de ficar mais uns dias e aproveitar o festival de verão que estava pra começar. Grandes nomes internacionais estavam confirmados e prometiam incendiar Lucca. Quem quiser curtir, acontece sempre em julho.

A bela torre arborizada em Lucca
Uma das encantadoras ruas de Lucca
Curtindo o sol da toscana num parque em Lucca
O festival de verão de Lucca já está agendado, mas Amy vai furar de novo…

No princípio, pensávamos em ficar por uns 40 dias na Itália. A gente até alugaria uma casa na Toscana. É o que está escrito aqui no blog na página com o “roteiro”. Só que nossos planos mudaram. Foram 3 semanas no País, ainda assim um bom tempo. No fundo, quase não abrimos mão de nenhum lugar, mas aceleramos o ritmo. Chegamos à conclusão que em vez de parar pra relaxar em um dos Países mais caros da viagem, faríamos bem em distribuir esses dias em lugares como Grécia e Egito, onde curtimos o calor e o ócio na praia com preços convidativos.

Mas, que fique claro: a Itália é insistentemente atrativa, espalhando belezas inesperadas pelo caminho como a imponente estação de trem de Milão – que é linda. De passagem, curtimos as montanhas de Carrara que com seu famoso mármore exposto por anos de mineração cria uma miragem de picos nevados em pleno verão.  E vimos passar cidades como Gênova, Siena e Bologna pela janela, perguntando quando a gente volta. Um dia voltamos, mas por ora, temos que seguir. Essa etapa da viagem está na reta final e Londres é nosso último destino na Europa. Já estamos com um pé na África e refinando os planos pra Ásia. Emoções novas à vista!

15 comentários Adicione o seu

  1. Jaqueline disse:

    Quanto tempo que não venho aqui! Coloquei a leitura em dia hehe!
    Como sempre, tudo esta maravilhosamente escrito. Amei! :)

    1. Valeu, Jaqueline! Some não! rs…

    2. Valeu, Jaqueline! Some não!

  2. Anônimo disse:

    Olá, pessoal! A foto do Fred com a Torre ficou ótima….rsrsrs.

    1. Valeu, “anônimo” rs… Nos divertimos por ali!

      1. Anônimo disse:

        Uai…Esqueci de colocar nome…kkkkkk. Beijos, Kátia

      2. Ah, agora sim! rs… Bjos

  3. Rogério disse:

    Grande abraço para vocês! A viagem está show!

    1. Valeu, peixe! Bom ver você por aqui acompanhando! Abração

  4. LONDON!!! LONDON!!! LONDON!!!!
    me esperemmmmmmmmmmm!!!!

    1. Xiiii… já estamos na África. Mas, o post de Londres sai logo mais! Abração, Dimitri!

  5. Anônimo disse:

    A viagem de vocês está de cair o queixo, tenho certeza que até a estátua concordaria comigo, se não fosse o Fred lá dando uma forcinha. Que bons ventos continuem a os levar no interessantíssimo passeio a que se propuseram. Grande abraço. JM

    1. Tenho certeza que ele concorda, Jota! eheheeh Valeu, demais! Grande abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s